sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Day 30- Who are you?

É dificil definir quem é Maria Krishna porque Maria Krishna não é. Ela simplesmente está.

Apesar de tudo, eu me considero feliz, mesmo passado por um momento tão difícil. Eu tenho grandes amigos que sei que me amam e que querem o meu bem, tenho a arte, que salva a minha alma, tenho uma mente altamente criativa e fértil que, por vezes, me faz escapar da realidade dura na qual estou presa. Eu não tenho do que reclamar da minha vida. Minha família é ótima e sempre se preocupa comigo e me ajuda, sou inteligente e perspicaz, tenho um gênio forte e muito difícil, uma personalidade altamente mutável e complicada de se conviver, mas, com o passar do tempo, eu creio estar melhorando para controlar toda essa confusão que sinto dentro de mim, o que, às vezes, me leva aos desespero.
Mas coisas que se pode ter certeza é: Maria Krishna é uma boa amiga. Uma daquelas que faz de tudo para te tirar do buraco. Ela é reservada e distante por vezes, mas sempre tem uma palavra boa e um conselho inesperado. Ela é na maior parte das vezes bem calma, mas não se assuste por ela estar na tpm e descontar a raiva em você. Ela vai se sentir péssima depois e pedir desculpas de todas as maneiras possíveis. Ela é um pouco grossa as vezes, por defesa. Ela é mole, mas não é estática e está sempre aberta e pronta para novas experiencias. Está sempre lutado contra si mesma, então não estranhe se ela parecer contraditória. Ela se exalta em discussões, principalmente sobre conceitos morais, então as vezes é melhor parar antes que ela fique irritada.

Eu sou uma pessoa confusa, mas faço sentido na maior parte do tempo. E eu gosto de gente que respeita a minha estranheza e a minha falta de nexo. Eu gosto de ler e estudar, gosto de polêmica e fazer coisas diferentes, gosto de sexo, gosto de viver a vida como se cada segundo fosse o último, gosto de curtir as pessoas e suas diferenças, gosto da novidade, de tecnologia, de música e desenhos.

Eu não tenho pretensões de ter uma vida comum, porque sei que não sou comum o suficiente para isso. E enquanto me for possível viver do meu modo, com meus pequenos desejos e meu modesto estilo, eu o farei. Eu sei que no mundo de hoje se presa tanto o luxo é difícil ser alguém que não deseja nada além do seu espaço e respeito por ele. Sei também que eu vou precisar lutar muito para conseguir realização nas áreas que aspiro, mas o que a vida sem desafios?
Eu não me definir, nem vou tentar. Mas se em 30 dias não consegui me conhecer, eu imagino se uma vida não suficiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tell me you're not vicious...