segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A necessidade de mudança.

Isso não acontece o tempo todo, mas acontece comigo sempre e com uma generosa porcentagem das pessoas que eu conheço. Uma necessidade insana, quase sufocante de mudar.

Pode ser algo bem específico ou abrangente, pode até ser todo o seu eu, não importa, mas é assim. Não é só uma vontade, um capricho. Você PRECISA mudar, ou, pelo menos comigo, começa a ter a impressão de que vai enlouquecer.

É o que eu acho que vem acontecendo comigo ultimamente. Quer dizer. É obvio que eu mudei bastante neste ano. Não sei se para melhor, mas foi uma mudança significativa e bem interessante. Só tem um problema que eu de alguma forma me frustra e é provavelmente um problema meu porque eu sou louca e reconheço isso: a sutileza. Eu tenho essa coisa dentro de mim que me obriga a ser diferente, incomum, excêntrica. E em momentos como agora, esse monstrinho está gritando dentro de mim que eu estou virando uma pessoa praticamente enfadonha com toda essa sutileza.

Às vezes para mudar algo dentro de você, é necessário mudar algo fora de você. É como provar para si mesmo no espelho: “Olhe, eu sou outro agora, posso me comportar /gostar /fazer outras coisas, de outros jeitos”. E eu não sei se a psicologia está comigo, mas eu acredito que seja assim com quase todo mundo. Quer dizer, quem nunca mudou a armação dos óculos, ou o corte de cabelo, ou fez aquela limpeza no armário para comprar umas roupas novas?

Pode ser por causa da moda, do momento, das pessoas com quem convivemos, mas a verdade é que estamos constantemente nos transformando e queremos o máximo que nos for possível. Porque é bom mudar. Dá um sabor novo, um quê de mistério, e sinceramente... eu nunca conheci ninguém que agüentasse mesmice de forma completamente passiva.

Eu sei que preciso mudar, mas não sei por onde ou como começar. Talvez eu esteja buscando aprovação da minha família pela minha aparência, e isso é muito ruim porque é praticamente impossível eu conseguir ser eu mesma se seguir o padrão estético dos meus irmãos. E esse monstrinho, essa dorzinha,... tá me deixando agoniada já.

Se eu puder pedir uma coisa, por favor, não criem expectativas sobre mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tell me you're not vicious...